instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 91550-1122

instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 96403-0065

O trabalho pode ser melhor, moça

imagem_2022-06-13_172901536

Esse texto é dedicado às mulheres que, um dia, já olharam em volta e se sentiram muito plenas e realizadas – mas se deram conta de que, ainda assim, faltava algo.

Esse texto é dedicado às mulheres que têm o trabalho como um grande pilar da vida e como um lugar de grande significado do seu ser (e isso não é nenhum problema).

É com você que eu falo.

É pra você que o meu coração fala.

Pela primeira vez, sinto dificuldade em ocupar um lugar racional para colocar em palavras o convite que eu gostaria de fazer a muitas mulheres, conhecidas e desconhecidas, que passaram pela minha história.

Talvez seja porque nenhum verbo possa dar conta de expressar o que quero entregar ao mundo com essa jornada.

Talvez porque, finalmente, o masculino que me habita tenha entendido ter chegado o seu limite.

O limite do incomunicável.

A partir daqui, o caminho é feito muito mais de silêncio do que de linguagem.

Talvez porque, finalmente, a linguagem que me significa tenha entendido ter chegado o seu limite.

O limite do intransferível.

É aqui o começo. 

***************

O Espaço Crisálida nasce da certeza que eu e Anita temos de que podemos mudar o mundo e de que vamos fazê-lo, não importa quanto tempo leve.

Qual é a medida do tempo, se somos infinitas?

Quais são os limites do mundo, se somos natureza?

Quando a gente entra em um escritório, ou mesmo quando criamos o nosso próprio negócio, acabamos por acreditar que tudo se separa e de que temos que viver uma persona diferente.

Por um tempo dá muito certo e somos amadas por cabermos nesse contexto rápido, objetivo, realizador, contundente, eficiente.

E somos até felizes.

Até que passamos por uma porta e damos de cara com algo tão maior e tão mais profundo que todo o resto fica pequeno – ou será que volta ao seu devido tamanho original?

Ou até que sofremos algo tão dolorido que nenhuma roupa mais nos serve – ou será que sempre gostamos de outras estampas?

Quando despertamos, é muito comum irmos ao outro extremo: passamos a negar tudo aquilo o que fomos e vivemos, buscando romper com o que nos sufoca.

Justamente por acreditar na integração das forças é que nos propomos a empreender uma jornada de reconexão do masculino que vive em nós com o feminino que nos é essência.

Faz sentido pra você?

Nós não prometemos respostas.

Aliás, não prometemos nada.

Só garantimos acolhimento, perguntas e muita, muita disponibilidade emocional pra te ajudar a ir por onde você quiser.

Ainda que seja num escritório.

É possível ser mais e ser você.

Mas quem você é quando somem todas as expectativas sociais?

Vem caminhar com a gente.

Toda mulher é um lugar seguro. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Dinheiro pra quê?

Pra pagar boleto, óbvio. Pra comprar comida. Pra sustentar criança, ajudar a família, ter um carro e um teto. Pra viver.  E pra comprar aquela blusinha que eu não preciso, só porque a influencer do Instagram..

Não contrate feministas

Elas são péssimas. Sabem pensar, argumentar, estudam bastante e procuram, o tempo inteiro, uma solução que inclua todo mundo, mas, principalmente, as mães que estão sozinhas pra criar os filhos, muitas delas, pretas; os..