instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 91550-1122

instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 96403-0065

Angústia Digital – só eu sofro disso?

imagem_2022-06-13_172302688

Eu sempre fui a típica virginiana-toda-certinha-com-tudo-em-dia.com.br, a psicótica do bom controle e, pra mim, uma grande atitude de respeito para com as outras pessoas tem a ver com cuidar para não desperdiçar o tempo delas e nem deixá-las sem um retorno.

Sempre pensei e agi da seguinte maneira: se alguém falou comigo, me abordou para qualquer assunto, merece um retorno. Mesmo que esse retorno seja “não, obrigada”.

Enquanto a coisa estava no email, ICQ, Messenger e no Torpedo, tava beleza: eu, que sou da época do Pager, conseguia administrar tranquilamente as diversas entradas de contato.

Aí, Deus deixou a gente criar o whatsapp (com grupos).

E mais 53 variações de caixas de mensagens, em todos os aplicativos da vida.

E marcação no Facebook.

E eventos no facebook.

E Facebook, fim.

Tentei, por um tempo, me organizar pra responder tudo.

Mas não dou mais conta.

E sofro um pouco, admito.

Porque posso estar deixando passar algo importante, alguma mensagem que, realmente, precisaria ser respondida.

Tenho exercitado abrir mão do controle e fiz uma conta rápida: com o volume de eventos, marcações, mensagens e emails, seriam necessárias entre 7 e 9 horas por semana para ver/ler/consumir e responder tudo.

Como (quase) resolvi? Com 6 passos rápidos:

  1. Refleti sobre as minhas prioridades. Grupos de trabalhos que já acabaram, por exemplo, não são mais mantidos no whatsapp e eu explico para as pessoas não acharem que sou a mais-mal-educada-do-universo.com.br;
  2. Decidi o aplicativo que iria concentrar os temas importantes: Whatsapp. E avisei às pessoas de meu convívio profissional e pessoal que outros aplicativos seriam checados1x/semana;
  3. Decidi o aplicativo que teria a minha atenção diária (1x/dia): Linkedin.Por razões profissionais, mas, principalmente, pelo potencial em conhecer gente nova, preservando a minha privacidade. Sabendo usar, é uma maravilha!
  4. Organizei meu top 3 grupos: meu grupo de Gestão e Diretoria; meu grupo de Operações e meu grupo com meu marido, meu filho e minha nora (que estão no Canadá). Se aparece mensagens nestes grupos, eu dou uma olhada para saber se é importante;
  5. Combinados com a família: meu marido, meu ex-marido, meu filho, minha nora, meu pai e minha mãe sabem que, se é uma urgência/emergência, eles me ligam e, principalmente em horário comercial, eu peço licença e atendo na hora. Como temos critérios pra ligações, sei que vai ser algo relevante;
  6. Checagem cuidadosa 1x/semana: dou uma olhada mais carinhosa no que fica pendente e interajo pontualmente <3

Sempre tem espaço pra uma mensagem carinhosa ou um meme (claro!!!), só tomo cuidado de não ter o meu tempo roubado em excesso.

Isso tem me ajudado a manter a sanidade e refletir sobre o que eu mesma envio, respeitando o tempo do outro e criando cada vez mais relevância!

Afinal… Tempo é o que você fizer dele 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

A armadilha do parâmetro X a fantasia

Tenho certeza de que você já se desentendeu com alguém ou ficou chateada com alguém sem entender muito bem o porquê. Isso acontece direto no ambiente de trabalho e tem consequências perigosas pra sua..

Cinco decisões para o trabalho remoto perfeito

Como começar a oferecer segurança psicológica pro seu time Duas plataformas de reunião virtual, uma plataforma de gestão de projetos, outraplataforma de comunicação, mais uma plataforma de interação virtual tipo metaverso, umapp de trocar..

A fuga do que não pode ser remoto

Como ficarão os postos de trabalho que exigem presença física síncrona no“novo normal”? A motorista de ônibus, o professor, a atendente do supermercado, o caminhoneiro, ogarçom, as equipes de enfermagem, da construção civil e..