instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 91550-1122

instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 96403-0065

IPEFEM identifica risco aumentado de instabilidade emocional e mental pós-quarentena para quem já tinha diagnóstico em saúde mental

imagem_2022-06-13_170114187

Quase metade dos participantes da amostra responderam que há pré-existência de transtornos relacionados à saúde mental.

O IPEFEM – Instituto de Pesquisa & Estudos do Feminino, realizou, entre 18 de Março e 22 de Julho de 2020, um grande mapeamento com 1.500 pessoas sobre os impactos emocionais, comportamentais e práticos da COVID-19 na vida dos brasileiros, com especial atenção para quem já precisava lidar com distúrbios em saúde mental como ansiedade, depressão e síndrome do pânico.

A medição de julho constatou que 88% da amostra avaliou o estado de saúde mental como “regular, ruim ou péssimo” aumentando consideravelmente em relação à média inicial (54%), registrada no levantamento das primeiras semanas da quarentena, entre março e abril, maio (53%) e junho (59%).

Esse número sobe para 91% das pessoas com pré-existência de enfermidades de saúde mental — com destaque para ansiedade e depressão — que consideram o estado emocional como regular, ruim ou péssimo contra 85% daquelas que não apresentam a mesma condição.

Amostra da fase de Julho

Do total de 536 respostas espontâneas, 45% afirmaram ter pré-existência de transtornos relacionados à saúde mental, a saber:

8 em cada 10 pessoas sofrem de ansiedade;

5 em cada 10 pessoas apresentam depressão;

65% relatam que os sintomas pioraram em relação à maio (43%) e junho (45%);

40% usam medicamentos: antidepressivos (64%), ansiolíticos (49%), estabilizadores de humor (22%), medicação natural / fitoterápica (como passiflora, melatonina, etc) (20%) , e outras medicações (14%).

Entre as emoções mais presentes, despontam ansiedade (84%), preocupação e desânimo (75%) seguidas por angústia (72%), tristeza (68%), insegurança e medo (67%).

Apoio terapêutico gratuito

A partir do acompanhamento desse cenário, desde Março, o Ipefem oferece apoio terapêutico gratuito e, em Agosto, 713 pessoas já estão em atendimento, classificadas por nível de criticidade/necessidade terapêutica.

O grupo de terapeutas do Ipefem conta com profissionais de psicologia, psicanálise, neuropsicologia, terapia sistêmica, terapia transpessoal, terapia comunitária, entre outros.

Para participar, basta preencher o link que consta na bio do Instagram @ipefem.

Disponível para todas as pessoas adultas maiores de 18 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Dinheiro pra quê?

Pra pagar boleto, óbvio. Pra comprar comida. Pra sustentar criança, ajudar a família, ter um carro e um teto. Pra viver.  E pra comprar aquela blusinha que eu não preciso, só porque a influencer do Instagram..

Não contrate feministas

Elas são péssimas. Sabem pensar, argumentar, estudam bastante e procuram, o tempo inteiro, uma solução que inclua todo mundo, mas, principalmente, as mães que estão sozinhas pra criar os filhos, muitas delas, pretas; os..