instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 91550-1122

instituto de pesquisa e estudos do
feminino e das existências múltiplas

contato@ipefem.org.br

+55 (11) 96403-0065

IPEFEM identifica risco aumentado de instabilidade emocional e mental pós-quarentena para quem já tinha diagnóstico em saúde mental

imagem_2022-06-13_170114187

Quase metade dos participantes da amostra responderam que há pré-existência de transtornos relacionados à saúde mental.

O IPEFEM – Instituto de Pesquisa & Estudos do Feminino, realizou, entre 18 de Março e 22 de Julho de 2020, um grande mapeamento com 1.500 pessoas sobre os impactos emocionais, comportamentais e práticos da COVID-19 na vida dos brasileiros, com especial atenção para quem já precisava lidar com distúrbios em saúde mental como ansiedade, depressão e síndrome do pânico.

A medição de julho constatou que 88% da amostra avaliou o estado de saúde mental como “regular, ruim ou péssimo” aumentando consideravelmente em relação à média inicial (54%), registrada no levantamento das primeiras semanas da quarentena, entre março e abril, maio (53%) e junho (59%).

Esse número sobe para 91% das pessoas com pré-existência de enfermidades de saúde mental — com destaque para ansiedade e depressão — que consideram o estado emocional como regular, ruim ou péssimo contra 85% daquelas que não apresentam a mesma condição.

Amostra da fase de Julho

Do total de 536 respostas espontâneas, 45% afirmaram ter pré-existência de transtornos relacionados à saúde mental, a saber:

8 em cada 10 pessoas sofrem de ansiedade;

5 em cada 10 pessoas apresentam depressão;

65% relatam que os sintomas pioraram em relação à maio (43%) e junho (45%);

40% usam medicamentos: antidepressivos (64%), ansiolíticos (49%), estabilizadores de humor (22%), medicação natural / fitoterápica (como passiflora, melatonina, etc) (20%) , e outras medicações (14%).

Entre as emoções mais presentes, despontam ansiedade (84%), preocupação e desânimo (75%) seguidas por angústia (72%), tristeza (68%), insegurança e medo (67%).

Apoio terapêutico gratuito

A partir do acompanhamento desse cenário, desde Março, o Ipefem oferece apoio terapêutico gratuito e, em Agosto, 713 pessoas já estão em atendimento, classificadas por nível de criticidade/necessidade terapêutica.

O grupo de terapeutas do Ipefem conta com profissionais de psicologia, psicanálise, neuropsicologia, terapia sistêmica, terapia transpessoal, terapia comunitária, entre outros.

Para participar, basta preencher o link que consta na bio do Instagram @ipefem.

Disponível para todas as pessoas adultas maiores de 18 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

A armadilha do parâmetro X a fantasia

Tenho certeza de que você já se desentendeu com alguém ou ficou chateada com alguém sem entender muito bem o porquê. Isso acontece direto no ambiente de trabalho e tem consequências perigosas pra sua..

Cinco decisões para o trabalho remoto perfeito

Como começar a oferecer segurança psicológica pro seu time Duas plataformas de reunião virtual, uma plataforma de gestão de projetos, outraplataforma de comunicação, mais uma plataforma de interação virtual tipo metaverso, umapp de trocar..

A fuga do que não pode ser remoto

Como ficarão os postos de trabalho que exigem presença física síncrona no“novo normal”? A motorista de ônibus, o professor, a atendente do supermercado, o caminhoneiro, ogarçom, as equipes de enfermagem, da construção civil e..